Quem sou eu

Minha foto
Estudante do curso de Letras Portugues/Francês na UERJ Professora/Estagiaria de francês e português. Estudante de música, canto lírico, piano e violão. Modelo.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Dúvidas humanas

O homem tem a necessidade natural de saber de onde veio, para onde vai e principalmente o porque de estar onde está. As indagações feitas sobre o divino são necessárias para se ter fé e criar uma motivação pra enfrentar o dia-a-dia. A pergunta mais decorrente na minha vida é qual o seu sentido. Pode até parecer que é coisa de quem não tem nada pra fazer, mas cada vez que me pergunto isso buscando uma resposta, eu cresço.
Desenvolvo dessa forma, uma espécie de fórmula de amadurecimento. É necessário que nós nos conheçamos bem e nos compreendamos para que tenhamos uma vida sadia, bem desenvolvida e principalmente, uma boa vida social. Alguns podem até não concordar, mas não vivemos sós, um ciclo social é de imensa importância para cada um de nós. Então, não podemos esperar que outros nos entendam se nós mesmos não nos compreendemos e muitas vezes não nos conhecemos.
Partindo desse princípio, procuro sempre fazer-me aquelas perguntas aparentemente banais e sem respostas. As perguntas que faço são para mim mesma. Não espero nenhum milagre divino vir responder. Essas respostas são encontradas dentro de nós mesmos. Retiro um tempo por semana para pensar em tais coisas. “O que estou fazendo da vida? Qual o sentido dela?”. Ela pode não estar fazendo muito sentido pra mim agora, mas um dia já fez e voltará a fazer. Não acredito que seja perda de tempo tirar alguns minutos para fazer tais perguntas. Isso, eu chamo de um momento só meu, “de mim pra mim mesma”. É como se eu fosse no shopping comprar roupas novas e revolucionasse meu armário. De certa forma é bem assim, mas nesse caso o que está sendo reformulado é a minha mente, o meu jeito de pensar e de ver a minha vida. Se eu não fizer isso, ninguém fará por mim.
Desta forma procuro encontrar o meu “eu” interior e as respostas para as minhas dúvidas dentro de mim mesma. O homem não é só matéria, carne e osso. Ele é feito de sentimentos e pensamentos. Senão compreendermos estes sentimentos, sejam eles bons ou ruins, não seremos capazes de alimenta-los ou reprimi-los. Quanto aos pensamentos, estes devem ser bem organizados para que haja compreensão e distinção dos mesmos.
Precisamos aprender a tomar a rédea de nossas vidas e domar nossos sentimentos, pensamentos e ações, ser os donos de nós mesmos. É necessário saber lidar com as feras incontroladas que existem dentro de todos nós. Estas, quando confusas, podem causar muitos problemas para nós e para os outros. Precisamos doma-las e ensina-las bons modos. Para isso, descobrir quem são elas, isto é, quem somos nós. Essas bestas não são nada menos que nós mesmos. Se nem ao menos sabemos quem somos, como podemos ter o poder sobre nós?
Por isso, procuro sempre me fazer aquelas mesmas perguntas. Talvez não seja tão importante saber de onde eu vim ou pra onde eu vou, mas o que eu vou fazer até lá, o que farei pra chegar onde eu quero? Mas continuarei perguntando-me qual o sentido da minha vida, procurando sempre uma resposta dentro de mim, melhorando cada vez mais e buscando fazer o melhor por quem está do meu lado e principalmente, para mim mesma., pois o sentido da minha vida sou eu.
O homem é feito de dúvidas, porém, aqueles que não buscam respostas para elas ou acreditam não as ter, são apenas pobres ignorantes. “Só sei que nada sei” – Sócrates
"
Puisque je doute, je pense; puisque je pense, j'existe" - René Descartes

Barbara Tuche é estudante do curso de Letras da UERJ
Rio de Janeiro, 02 de Dezembro de 2009

8 comentários:

André Spinillo disse...

Acho que o homem tem a necessidade natural não de saber de onde veio em si, mas acho que é do instinto humano ter dúvidas. Não necessariamente as respostas, mas a dúvida é que pode ser considerada como o motor. Digo isso até porque tais indagações provavelmente nunca serão respondidas de fato, como o tão famoso "sentido da vida". Mas acreditar que haja um sentido é que é importante. Concordo sobre a tal da fera, mas como é de natureza humana ser complexo, às vezes a fera pode alterar-se repentinamente, tornando-se indomável novamente, até que possamos entendê-la mais uma vez e consequentemente saber como controlá-la.
Creio, por fim, que necessitamos de algo que nos projete para a frente, seja uma indagação atrás da qual corremos, ou apenas a pura e simples vontade de viver.
"O Mundo não se fez para pensarmos nele (Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo..."

BTuche disse...

Desculpe-me, André mas, você citou Alberto Caeiro! Um cara nada filosófico! Bom pra quem gosta do naturalismo e toda essa coisa bucólica. Ele é anti-pensamento! Olhar e simplesmente dizer "sim" a tudo, não é comigo. Não posso olhar o mundo da forma que está e ficar de acordo.

Ahhh e eu disse que são as indagações e as dúvidas que servem como motivação (o que você chamou de motor), eu nao disse que eram as respostas!! ^^

Obrigada pelo comentário! beijos!!

André Spinillo disse...

Ah, não poderia deixar de citá-lo eventualmente, é meu poeta favorito junto com Augusto dos Anjos. Acho também q não dá pra ficar de acordo com a forma com q o mundo têm tomado a partir da sociedade falha q é a humana. Mas quanto ao mundo em sua forma natural, havendo as coisas de existir apenas pela sua própria existência... Fico imaginando se uma flor se questiona sobre sua existência... Aiai, acho melhor guardar o q vou dizer por enquanto, pq acho q com o q eu tenho na cabeça já dá pra fazer um textinho maroto para uma próxima postagem minha xD

beijos!

Barbara Tuche disse...

As flores são lindas e cheirosas, mas elas não têm sentimentos, não tem cérebro, nem um coração e muito menos pensam! Por essas e outras elas não se questionam sobre sua existência, nem por coisa nenhuma!!

Little Ann disse...

Concordo que seja do instinto humano ter dúvidas sim e são estas dúvidas que originarão perguntas, pois são as perguntas que movem o mundo.
Creio que pensar diante os fatos do mundo é fundamental para sentirmos parte dele pois que graça tem ficar olhando?! Indagar origina conhecimento! Pense nisso! rs

Bom texto, continue assim!
Beijos!:*

André Spinillo disse...

Não seja tão cruel assim com as flores, apesar de que nossa ciência nos têm gerado um conhecimento enorme sobre tudo no universo, quem sou eu pra dizer que elas não têm talvez uma alma ou sei lá o que. Sei que viajo pra cacete as vezes... mas enfim, mesmo elas não pensando ou se questionando sobre nada, a existência delas tem sentido, e muito! Pensar diante dos fatos gera conhecimento e evolução, mas às vezes simplesmente querer existir e estar sentindo (sentindo, e não pensando) já vale todo o sentido possível!

Barbara Tuche disse...

Para quem filosófa demais, vc não está pensando nada.
O que adianta ter tantos sentimentos se você não os entende?! Se você pensasse um pouco mais, poderia compreende-los.

Para colocar um ponto final nessa discusão citarei Descartes: "Puisque je doute, je pense; puisque je pense, j'existe"
Em latim é "Dubito, ergo cogito, ergo sum"!!! Entendeu? Ele disse: Duvido, logo penso, logo existo! Se duvido, logo penso. Se penso logo existo!!

Sério, Alberto Caeiro não é ninguém comparado a um dos maiores matemáticos e filósofos do mundo, além de tudo ele é francês! ^^

beijosmeliga!rs

Rafael disse...

Não quero entrar no âmago da questão e ser mais um a filosofar o belo texto escrito aqui à cima. A veracidade dos fatos citados é o que deve ser levado em consideração. A vida deveria ser simples e exata como a matemática, onde 2 + 2 = 4 e que não existe outra possibilidade de resposta, mas não é! E é por este motivo que cada pessoa possui suas dúvidas e seus leques de respostas, pois somos diferentes, passamos por experiências diferentes, pensamos de maneiras diferentes, e é justamente por estes motivos que temos que respeitar a opinão do próximo. Cada pessoa deve se basear em si mesma, nas próprias experiências para encontrar as respostas que cada um procura, pois só fará sentido a ela mesma. Continue buscando o que procura, continue acreditando no que acredita, pois assim poderá construir uma identidade e um dia poder dizer: Eu sei quem sou Eu.

Beijos

Rafael

Postar um comentário